PROGRAMAÇÃO

7 DE JUNHO
 
11h00    CREDENCIAMENTO
13h00   MESA DE ABERTURA

14h00   MESA 1  "O ESTADO E A PRODUÇÃO DE SUBJETIVIDADES VIOLADAS"
Palestrantes:
- Emiliano David ​
- Sabrina Ribeiro Cordeiro 
- Esther Arantes
Mediadora:
- Cláudia Natividade


17h00    MESA 2  "DEFESA, GARANTIA E PROMOÇÃO DE DIREITOS HUMANOS PARA O POVO BRASILEIRO"

Palestrantes:
- Symmy Larrat​
- Claudia Mayorga

Mediadora:
- Juliana Brunoro de Freitas

 

19h00    INTERVENÇÃO CÊNICA E MUSICAL "NÓS, O REI E AS ESTRELAS"
Grupo de usuárias e usuários do Centro de Convivência Venda Nova 


19h30    CONFERÊNCIA MAGNA  "QUE PROJETO DE SOCIEDADE DEFENDEMOS: A PSICOLOGIA NAS POLÍTICAS PÚBLICAS"

Conferencista:
- Fernando Lacerda 
Debatedora:

- Beatriz Borges Brambilla  
 

8 DE JUNHO

 8h00    CREDENCIAMENTO

 9h00    PALESTRA "O PROTAGONISMO DE USUÁRIAS(OS) NA FORMULAÇÃO, EXECUÇÃO E MONITORAMENTO  DAS POLÍTICAS" PÚBLICAS 

Palestrantes:
Miriam Abou-Yd 
- Laura Fusaro Camey
Mediadora:

- Deborah Akerman

10h15    MOSTRA DE PRÁTICAS PROFISSIONAIS: COMUNICAÇÃO ORAL POR TEMAS  

TEMA: A TRANSVERSALIDADE DA LUTA ANTIMANICOMIAL
Interessa-nos discutir os desafios da política antimanicomial em todos os espaços das políticas públicas; as lógicas manicomiais presentes nas políticas públicas; boas práticas de cuidado em saúde mental.


SALA A 
Debatedoras:
 Marta Elizabete de Souza e Odila Braga
Trabalhos: 
- Luta antimanicomial e medida de segurança: acompanhamento terapêutico como clínica de cuidado em liberdade (Cristiane Santos de Souza Nogueira);
- Principais desafios e possíveis intervenções no serviço residencial terapêutico (Mariana Machado Coelho Ramos);

- Formação e atuação do psicólogo nas políticas públicas e no Cersam: conquistas e desafios (Thaís Mendes Gomes);

- Esse beco tem saída: diálogos intersetoriais na inclusão do projeto terapêutico singular (Dordania de Souza Resende);

- Percepção dos profissionais de saúde (rede pública) e da sociedade em relação aos pacientes psiquiátricos (Luana Yasmin Silva de Moura).

SALA B
Debatedores:
 Filippe de Mello Lopes e Marcelo Dalla Vechia
Trabalhos:
- Mulheres, mães e crianças na rede SUS - embalar é preciso (Maria Mercedes Merry Brito);
- A oficina de desenho no tratamento de sujeitos em uso abusivo de álcool e  drogas (Fabiana Lúcia Campos Baptista);
- Promoção à saúde na atenção básica: uma estratégia antimanicomial (Bruna Ceruti Quintanilha);
- Vamos dar um rolê? Territorializando a loucura com usuários do serviço de saúde mental (Jeanyce Gabriela Araújo);
- Os desafios do cuidado à toxicomania no contexto hospitalar de urgência e emergência (Julia Foch Nalle).

TEMA: ENFRENTAMENTO ÀS VIOLÊNCIAS E DISCRIMINAÇÕES
Interessa-nos discutir como as políticas públicas identificam e intervém nos casos de violência contra minorias políticas (mulheres, LGBTs, crianças, jovens, idosos, população de rua, pessoas com deficiência, moradores de ocupações rurais e urbanas, etc); as práticas das políticas específicas de direitos humanos (centros de referência, núcleos, etc) e sua relação com os diversos campos; boas práticas de enfrentamento às violências e discriminações.

 

SALA A
Debatedoras:
 Cláudia Natividade e
 Flávia Santana
Trabalhos:

- Ecos de resistência: cuidando das dimensões subjetivas do adoecer feminino (Ana Beatriz Rodrigues Domingues);

- O (re)trato das mulheres (Mariana Carvalho de Almeida);

- Práticas no serviço de atenção às pessoas em situação de violência em Vitória/ES (Danielly Abreu Xavier);

- Como cuidar das feridas em um grupo de mulher em situação de violência? (Joanna Brown Wetter de Oliveira Reis); 

- Prostituição na Guaicurus: retratos da pesquisa com mulheres prostitutas no trabalho da psicologia (Elizabeth de Magalhães Fernandes);
- Do grupo de mulheres ao serviço de convivência: desdobramentos e transições no CRAS (Regina Helena Marques Pessoa).

SALA B
Debatedoras: Leiliana Sousa e Dalcira Ferrão
Trabalhos:

- Oficina ‘Pérolas Negras (Natália Cristina de Sá);
- População em situação de rua: questões sociais, culturais, subjetivas e seus maiores enfrentamentos (Gabriela Verônica Caldeira Brant de Oliveira);
- Atendimento humanizado: processos de desconstrução e enfrentamento à LGBTfobia (Nilson Junior Ferreira Prado);
- Aplicações da política nacional de saúde integral de LGBT em uma unidade básica de saúde (Lucas Henrique de Carvalho);
- Relato de estágio no serviço família acolhedora: superando vulnerabilidades, fortalecendo vínculos (Géssica Claudino Alves);
- Direito de ter direitos: atuação do psicólogo no Creas, frente às diferentes formas de violação (Gabrielle Ferreira Silva).

SALA C
Debatedoras: Reinaldo da Silva e Diemerson Saquetto
Trabalhos:

- Ações de empoderamento comunitário como dispositivo para a promoção de saúde (Geiscislaine Lais Marins);
- Estudo das representações sociais da rede de apoio e proteção de Diamantina sobre família (Andreza Aparecida Rocha);

- As potencialidades do trabalho em rede na construção e fortalecimento das políticas públicas e comunidades;- Desafios para a atuação do psicólogo no sistema prisional (Erick Teixeira Gonçalves);
- Desafios para a atuação do psicólogo no sistema prisional (Natalia Rodrigues Lima);

- O compromisso ético-político na prática do psicólogo inserido no método de execução penal APAC (Luiz Felipe Viana Cardoso).

TEMA: A INSERÇÃO DAS(OS) PSICÓLOGAS(OS) NOS ESPAÇOS DE PARTICIPAÇÃO E CONTROLE SOCIAL
Interessa-nos discutir as possibilidades e desafios da participação de psicólogas nos espaços de controle social, grupos diversos e redes temáticas; a importância e potência da psicologia nestes espaços como construtora de políticas públicas humanizadas; boas práticas de atuação e resistência na construção de políticas públicas por meio do paradigma dos Direitos Humanos.

 

Debatedoras: Ana Sandra Arcoverde Nóbrega e Fernanda Magano

Trabalhos:

- Café Social (Leiliane Aparecida da Silva);
- Produção de saúde: despertar do corpo intensivo para invenção de novos modos de vida comunitária (Bruna Chaves Leal);
- Um estudo sobre as ambivalências da maternidade em contexto de vulnerabilidade (Monaliza Silva de Alcântara);
- Contribuições da comissão mulheres e questões de gênero do CRP-MG na inserção profissional das psicólogas (Cíntia Maria Teixeira);
- Atuação dos psicólogos nas associações de proteção e assistência aos condenados: APACs (Flávia Cristina Guimarães Paiva Nascimento).

TEMA: A CRIMINALIZAÇÃO DA POBREZA 
Interessa-nos discutir como a pobreza - sempre existente e hoje, crescente - tem sido tratada nos diversos âmbitos das políticas. 

 

Debatedoras: Solange Leite e Luciana Franco

Trabalhos:

- Medida socioeducativa de prestação de serviço à comunidade: possibilidades para a atuação do psicólogo (Marcela Ribeiro Lima Sant'Ana);
- Se liga! As potências das juventudes e novos modos de existência (Filipe Schneider Reis);
- Construindo e partilhando saberes: a experiência do Selex com jovens em cumprimento de medida socioeducativa (Viviane Martins Cunha);
- Redes de políticas públicas com a juventude de Cariacica/ES (André Ângelo Pinto);
- Reconhecimento social e proteção social - uma análise crítica sobre enfrentamentos às injustiças (Janacy Soares Serafim);
- Graffiti e arte das ruas: um método de intervenção no contexto psicossocial (Aline Gomes Santana).

TEMA:  JUDICIALIZAÇÃO DA PRÁXIS PROFISSIONAL
Interessa-nos discutir aspectos da Judicialização da vida; O atravessamento da judicialização na práxis profissional e seus impactos para os usuários e sobre as práticas profissionais. Principais desafios decorrentes da judicialização da política pública e possíveis saídas.

Debatedoras: Madalena Tolentino e Juliana Brunoro

Trabalhos:

- Judicialização da práxis psicológica em Varas de Família: repercussões nos casos de abuso sexual (Larissa Ferreira Otoni de Paula);
- Contribuições da psicologia na responsabilização do indivíduo privado de liberdade no sistema prisional (Cláudio Júnio Patrício);
- Judicialização do desejo: um olhar psicanalítico das demandas endereçadas ao CRAS (Thayane Bastos Moura Dias);
- Gênero, violência e promoção de cidadania: grupos reflexivos no enfrentamento à violência de gênero (Tayane Rogéria Lino);
- Judicialização em saúde mental: um caso de internação compulsória em CAPSad (Assunção Silveira Silva).

TEMA:  PATOLOGIZAÇÃO E MEDICALIZAÇÃO: PROCESSOS DE ASSUJEITAMENTO 

Interessa-nos discutir os processos de patologização e medicalização da existência e os atravessamentos que estes produzem na prática psicológica, os desafios que colocam à atuação da/o psicóloga/o e as resistências que têm sido construídas.

Debatedoras(es): Carla Biancha Angelucci e Marcus Macedo

Trabalhos:

- A clínica e o remédio: excessos e possibilidades (Marcela Baccarini Pacífico Greco);
- Uso indiscriminado de benzodiazepínicos na atenção básica: reflexões sobre a medicalização dos sintomas (Nayara Thaís Ferreria Ramos);
- Conhecimento dos pais acerca do cloridrato de metilfenidato (Giaslan Rodrigues Ferreira dos Santos);
- Busca pelo laudo: um instrumento viabilizador na garantia do acesso aos direitos (Amanda Cecília Oliveira);
- Oficinas terapêuticas como estratégia para reinserção psicossocial e produção de vinculo (Janiele Daniane da Silva Dias);
- Gestão autônoma de medicamentos: participação do usuário da saúde mental na construção do seu tratam (Renata Valério).

TEMA: PROCESSOS EDUCACIONAIS: (RE)PRODUÇÃO DE DESIGUALDADES NO CENÁRIO DE LUTA PELA DIVERSIDADE E IGUALDADE   

Interessa-nos discutir as políticas educacionais no âmbito das políticas de proteção social e redução das desigualdades. Desconstrução dos preconceitos, discriminações e violências por meio de práticas educativas promotoras da igualdade, respeito à diversidade e ao bem comum. Participação da psicologia escolar e educacional na construção e mediação de relações democráticas que garantam aprendizagem e o desenvolvimento humano.

 

Debatedoras(es): Celso Tondin e Deborah Barbosa
Trabalhos:

- Processos de subjetivação e constituição de negritudes na escola (Helom de Oliveira Barroso);
- Quando saio da unidade subo o morro até correndo? - atividade externa como ponto de partida do embaraço e laço para o sujeito e para a instituição de privação de liberdade (Edna Aparecida Rodrigues);
- Violência doméstica e o desafio de conscientização das mulheres sobre a violência psicológica (Desirèe de Oliveira Carneiro Silva);
- Espaço de fala com adolescentes na escola: dispositivo de escuta e lugar de protagonismo (Isael de Jesus Sena);
- O nexo causal da não aprendizagem e evasão escolar: crianças e adolescentes bloqueadas pela violência (Breno Alexandre Guerra Silveira);
- Movimentações da Juventude: analisando os efeitos das ocupações das escolas de ensino médio em Cariacica/ES (Camila Tobio Emmerich).  

13h30    RODAS DE RESISTÊNCIA  

EIXO 1  CONDIÇÕES DE TRABALHO, IDENTIDADE E VALORIZAÇÃO PROFISSIONAL E IGUALDADE  

Pretende-se discutir o exercício profissional no contexto das políticas públicas elucidando o status das condições de trabalho enfrentadas pela categoria e os desafios, entraves e atravessamentos que incidem sobre a identidade e a valorização profissional, seja no trato com gestores, equipes interdisciplinares e/ou com a população assistida. 

SALA A
Facilitadoras(es):

- Leiliana Sousa

- Túlio Picinini

SALA B
Facilitadoras:

- Cláudia Regina F. Carvalho Dias 
- Elizabeth Lacerda

EIXO 2  DESAFIO ÉTICO E TÉCNICO NAS POLÍTICAS PÚBLICAS  

Pretende-se discutir as dimensões éticas, técnicas e políticas presentes na práxis psicológica e suas aplicabilidades problematizando, assim, saberes e propondo alternativas social e tecnicamente competentes para responderem às demandas encontradas no exercício profissional. Cabe-se pautar os desafios relacionados à produção de documentos, aplicação de normativas do sistema conselho, garantia de sigilo profissional, divergências e imposições sobre o fazer advindos de agentes externos, dentre outros.

SALA A
Facilitadoras:

- Luciana Franco
- Sabrina Cordeiro

SALA B
Facilitadoras:

Júnia Lara
- Mariana Moulin

EIXO 3  DIÁLOGOS DA PSICOLOGIA COM ATORES SOCIAIS, MOVIMENTOS SOCIAIS E TERCEIRO SETOR  

Pretende-se discutir como a psicologia tem atuado no sentido de garantir o favorecimento dos processos e espaços de participação social, mobilização e organização comunitária, contribuindo para o exercício da cidadania ativa, da autonomia e do controle social, colocando as ações do Estado na direção dos interesses da coletividade.

SALA A
Facilitadoras:

- Flávia Santana

- Lourdes Machado

SALA B
Facilitadoras(es):

Cláudia Natividade
- Diemerson Saquetto

 

EIXO 4  TRABALHO EM REDE  

Pretende-se discutir a intersetorialidade, a (trans/inter)disciplinaridade e as estratégias de atuação em rede utilizadas pela psicologia no sentido de assegurar a garantia da atenção integral à população assistida no contexto atual das políticas públicas. Para tanto, faz-se necessário pautar as fragilidades e as potências nas articulações e atuações em rede, bem como repensarmos o lugar que a cidadã ocupa nesses processos.  

SALA A
Facilitadoras(es):

- Márcia Mansur 
- Waldomiro Sales  

SALA B
Facilitadoras(es):

Celso Tondin
- Edna Rodrigues

16h30    PLENÁRIA

 

18h00   ENCERRAMENTO  

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now